Onde a poesia tem cheiro de café...

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Entre fios e abismos

Com 0 Comentario
O poeta e a aranha tem uma certa semelhança. Ambos constroem suas teias com os fios que tiram de dentro.
Fios sensíveis são o suficiente para caminhar sobre abismos. 


Adriano Alves

+1

0 comentários :

Postar um comentário

Postagens populares